Para além de uma essência produzida coletivamente, para além da identificação homogênea que funda o pertencimento, a grande aposta da arte inespecífica se propõe como uma invenção do comum sustentada num radical deslocamento da propriedade e do pertencimento.

(p. 102)


Entrecríticas é um espaço teórico para se pensar a literatura em suas conexões com outras práticas artísticas, reflexões críticas e objetos culturais contemporâneos. É isto que cada um dos ensaios desta coleção de autores latino-americanos persegue, a partir de diferentes perspectivas: abordar a literatura não como um campo fechado em si mesmo, e sim como um movimento em direção a tudo o que a estimula e a transforma. Paloma Vidal Primeiro livro da coleção Entrecríticas, Frutos estranhos é uma provocativa análise das imbricações entre literatura e linguagem artística, mostrando que há romances que são quase ‘textos-instalações’ e obras plásticas que ultrapassam seu suporte formal. Organizada pela escritora e acadêmica Paloma Vidal, com a participação de pensadores de renome latino-americanos, a coleção visa a atender estudantes universitários, acadêmicos, pesquisadores e interessados em geral numa análise crítica e comparativa das manifestações culturais atuais.


livro seminal para quem quer entender um pouco mais de estética e arte.

in: GARRAMUÑO, Florencia. Frutos estranhos: sobre a inespecificidade na estética contemporânea. Trad. Carlos Nougué. Rio de Janeiro: Rocco, 2014.


Florencia Garramuño 🇦🇷 é PhD em Romance, Languages and Literatures pela Princeton University e pós-doutorada pelo Programa Avançado de Cultura Contemporânea da UFRJ. Dirige o Programa em Cultura Brasileira da Universidad de San Andrés, na Argentina, e é pesquisadora independente do CONICET. Em 2008 recebeu a bolsa John Simon Guggenheim. É autora de Genealogías culturales: Argentina, Brasil y Uruguay en la novela contemporánea, 1980-1990 (1997), Modernidades primitivas: tango, samba y nación (2007, republicado pela UFMG e em 2011 pela Stanford University Press) e La experiência opaca (2009, republicado pela Eduerj em 2012).